Um fiscal incorruptível!

Existe uma teoria linda que fala que a melhor maneira de educar um filho é através de exemplos. Pois eu tenho outra, acredito que a melhor maneira de educar um adulto é ter um filho!

Você ensina a atravessar na faixa, ensina a respeitar o sinal verde ou vermelho, ensina a cumprir o horário de assistir televisão, ensina a retirar o prato da mesa, ensina a recolher os pertences da sala, ensina a importância de comer salada nas refeições e pronto! Cria um fiscal que usa e abusa de todos os argumentos mais ardilosos para te educar.

Acelerar um pouquinho para atravessar um sinal amarelo, em uma correria desenfreada para chegar ao banco que fechará em poucos minutos é motivo para uma discussão filosófica que não cabe recurso. O negócio é concordar com a criança, admitir o erro e procurar deixar de seguir a educação “faça o que eu mando e não o que eu faço”. E essa linha muito bem definida de certo e errado, que ainda faz parte da visão que a criança tem de mundo, a torna um fiscal sem tolerância para o famoso “jeitinho brasileiro”.

Adoro ver a forma como o Bernardo se relaciona com o mundo, adoro ver a expressão de seus argumentos e seu entendimento de certo e errado. Gosto muito de saber que a educação que nós procuramos dar a ele é absorvida. E gosto de saber que por ele eu ando mais na linha, eu tento ser uma pessoa melhor, e tento por em prática o que minha própria mãe tentou me ensinar…

Uma amiga minha me falou uma vez que não são os pais que vem para a evolução dos filhos, mas sim ao contrário. Eu acredito.

Com um filho fiscal incorruptível e cheio de argumentos em casa, você finalmente entenderá o real significado de: -Tudo o que você disser poderá ser usado contra você no tribunal!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>