Tinta puff passo a passo

Como foi o feriadão por aí? Por aqui foi muito tranquilo, eu nem pensei em sair de casa para passear, meus rebentos não gostam muito de trânsito em dias normais, imagina eu com a possibilidade de ficaram parados em congestionamento? Nem nos arriscamos. Passamos os quatro dias em casa juntinhos em um misto de praça, parque, chão da sala, algumas farras culinárias com Bernardo e hoje para fechar com chave de ouro uma bagunça envolvendo tintas.

Vi essa receita de tinta caseira em um grupo de homeschool que participo no facebbok e me animei em tentar por aqui. A tinta chama-se puff, pois depois de pronta ela cresce, seca e fica com um aspecto fofinho. E para reproduzir usamos ingredientes caseiros e de fácil acesso.

Bernardo ficou interessadíssimo no processo químico, já que um dos ingredientes é fermento de bolo, e tudo que envolve experiências deixa sua atenção super aguçada. E Natália não estava convidada para participar da brincadeira, mas como vocês poderão ver ela também participou a-ti-va-men-te, avacalhando com o trabalho do menino.

Os ingredientes da tinta são:

- uma colher de fermento químico

- uma colher de sal

- três colheres de farinha

- água para ficar em uma consistência de tinta (vá misturando aos poucos)

- corante alímentício

Basta misturar tudo e ir mexendo para formar a tinta. É fácil e rápido, eu fiz tudo com uma colherinha de chá e rendeu um bom potinho da mistura. Essa parte é muito legal para uma criança mais velha, ver a reação química da coisa é realmente muito curioso. Já Natália acreditou do fundo do coração que eu estava preparando uma papinha bem deliciosa e ficou resmungando que queria provar.

E para dar o efeito puff vem a parte mais legal ainda, basta depois de estar com o desenho pronto, levar o papel (que deve ter uma gramatura mais dura, nós usamos um pedaço de bismark) para o micoondas por uns trinta segundos.

Esse azul ficou com uma cara de fundo do mar! Da próxima vez que brincarmos disso por aqui vou pensar seriamente em fazer um desenho mais elaborado com a ajuda do Bernardo. Mais uma vez o menino ficou impressionado com o resultado, eu também, pois realmente é diferente e curioso.

E por fim deixei Natália sentar e brincar como ela queria. E a experiência acabou sendo também sensorial. Todos os ingredientes eram tranquilos para ela manusear e arrisco dizer que todo o trabalho valeu mais por ela do que por Bernardo. Ela simplesmente ficou encantada com toda a bagunça e liberdade de se deliciar com a tinta. E eu né, o que posso falar? Quem nunca sonhou em ter que lavar um bebê smurf? #sqn

Touca retrô passo a passo

Eu sou simplesmente apaixonada por essa touca retrô. Dá uma ar tão infantil, tão querido e tão delicado para os bebês, que eu sempre quis costurar para minha filha. Desde que ela nasceu fiz tentativas, depois veio o verão e eu deixei para lá, mas agora com a entrada do outono e esse ventinho frio no fim da tarde, resolvi separar um tecido e confeccionar novamente essa fofura deliciosa!

É até engraçado passear com ela na rua. Não tem uma só pessoa que não ache a coisa mais fofa desse mundo. Além de estar protegida. Sinceramente me derreto quando consigo preparar algo para meus filhos com as próprias mãos. É um sentimento muito gostoso!

Natália está em uma fase muito encantadora. Além disso a menina é o charme em pessoa e simplesmente adora carregar coisas na cabeça! Vive fazendo gracinhas e nos faz rir o tempo todo.

E como já recebi de diversas leitoras o pedido de um passo a passo especial, dessa vez caprichei! Encontrei um vídeo em espanhol, mas todo visual, que serve perfeitamente para quem quer se aventurar a costurar essa peça linda.

Quem fez o vídeo foi o blog super inspirador e cheio de dicas maravilhosas Oh mine mother, que inclusive dispõe dos moldes para download nesse link.

Assista e depois vem me contar se não é super fácil!




www.escoladecosturar.com.br

Clube de mães, uma lata amassada e o fim da minha pretensão artística.

Eu cresci em uma cidade com pouco mais de 7 mil habitantes. Dá para imaginar o que é isso? É uma ruela em São Paulo. É 10% do público que enche o Maracanã.

Cresci praticamente um bicho do mato. Então que eu queria fazer um curso de algo tipo pintura, cerâmica, desenho pós moderno, sei lá. E claro que tinha gente que ria da minha pobre cara deslavada.

Decidida a correr atrás dos meus sonhos juvenis e cansada de receber chacota de meus próprios pais, na altura de meus nove anos de idade, procurei o clube de mães. Bati em suas portas que abriam toda terça-feira e explicando que ainda não tinha filhos, pedi encarecidamente uma vaga para aprimorar meu talento artístico. E assim um dia por semana eu pegava meu isopor encapado com uma folha listrada de verde e branco e ia feliz aprender a pintar panos de prato. Assim floresceu em mim essa vertente que vocês bem conhece. 9 anos. Clube de mães. Pano de prato.

Então que estava eu folheando uma revista de decoração super chique. E no meio da leitura me deparei com uma obra que estava em exposição para venda. A obra era uma peça de metal e uma marreta. O valor da obra era R$ 40,000.00 caso fosse amassada pelo autor, mas se caso o próprio cliente quisesse amassar o valor ficaria a bagatela de R$ 20,000.00 .

Essa obra me trouxe tantos pensamentos de tantas formas diferentes que poderia na verdade ser um livro de filosofia. Para começar eu não pagaria esse valor por uma obra (não me julguem, pessoa pintadora de panos de prato, lembram?). E também admiro muito o autor pela capacidade de valorização do próprio trabalho, porque né, eu me sentiria no mínimo insegura tendo essa ideia. E mais, passei a perceber que toda a sensibilidade artística que eu pensava ter era na verdade balela, pois veja bem, eu não conseguia ver beleza na dita cuja obra, muito menos a força da natureza humana, com a expressão do sofrimento da pessoa, envolto na couraça da escravidão da alma acorrentada do ser. Admiro quem consegue.

Em compensação minha gente, eu consigo olhar para um biscoito decorado e enxergar amor e carinho! Consigo pensar em uma pessoa feliz amassando manteiga com farinha. Consigo me sentir abraçada por alguém que teve tamanho cuidado com algo tão simples e delicado. Vai entender!

Poderia eu culpar minha infância no mato, poderia eu culpar minha origem humilde, poderia eu culpar as colegas do clube de mães. Mas não, só estou aqui fazendo tentativas de biscoito decorado enquanto choro lágrimas de emoção e frustração em meu próprio pano de prato.

Oi, eu sou um biscoito decorado que deu mais ou menos certo :)

Receita, passo a passo e blogueira coerente no thecookieshop!

Paraquedas de brinquedo passo a passo

Bernardo e eu fizemos juntos um paraquedas para um boneco que ficou um xuxu de legal. Serviu para tirar o menino do combo TV/computador/celular e ainda rendeu umas boas risadas em família. Aéreo dinâmica não é o meu nome, mas até eu consegui fazer uma manobras legais com o paraquedas de brinquedo.

Procurar alternativas para dar uma atenção integral para o Bernardo é uma coisa que faço com prazer, pois com Natália cada vez mais ativa, esses momentos estão ficando cada vez mais escassos. E dessa forma muitas vezes papai vai passear com a menina na rua e nós dois podemos juntos fazer algo só para ele. E eu posso enfim dar ouvidos integrais a todos os mães que ele consegue falar por segundo. E não são poucos!

Se você se identificou com a cena separa aí uma tesoura, fita adesiva, um guardanapo de decoupage (aqueles mais resistentes e decorados), um pedaço de lã, um furador, um bonequinho, chama a criançada e vão ser feliz.

Para começar enrole as quatro pontas do guardanapo, uma a uma, e cole fita adesiva na frente e atrás. Por cima da fita adesiva faça os furos (um em cada ponta). A fita servirá para dar segurança ao fio, e impedir que o guardanapo se rasgue durante a brincadeira.

Em seguida amarre um pedaço de fio de lã em cada furinho, depois una dois a dois, conforme a figura. Eles que prenderão o nosso aventureiro ao paraquedas.

Por fim é só prender os braços do boneco nos fios e correr para a diversão. Não dá para brincar dentro de casa, pois precisamos de mais altura para o paraquedas funcionar. Então aproveite um fim de tarde gostoso e se divirta com as crianças fazendo experiências e acrobacias aéreas!

Esse post foi feito especialmente para edição de abril da nossa coluna mensal na revista Educar.

Cupcake de cenoura para páscoa

Domingo foi dia de preparar uma receita deliciosa de bolo de cenoura, uma receita assim, para coelhinho nenhum botar defeito! Na verdade essa receita já foi testada e aprovada dezenas de vezes aqui em casa, mas foi a primeira vez que preparamos em formato de pequeninos cupcakes.

Bernardo tem se saído um bom boleiro, já sabe direitinho os passos do preparo de um bolo e curte muito quando fizemos algo mais ousado. E agora tem dado para afirmar que vamos juntos abrir uma casa de bolos. Se tem uma coisa que veio em abundância em meu filho foi a imaginação! E quem sou eu para suprimir seus sonhos?

E a nossa receita de cupcake de cenoura foi essa:

-2 cenouras grandes

-4 ovos

-1 xícara (180 ml) de azeite

-1 pitada de sal

-2 xícaras de farinha

-2 xícaras de açúcar

-1 colher de chá de fermento

Bata no liquidificador as cenouras, os ovos e o azeite. Até que a cenoura seja completamente triturada. Peneire todos os ingredientes secos. Acrescente a mistura do liquidificador aos ingredientes secos e, com muito carinho, prepare a massa.

Despeje em forminhas de papel para cupcake, como a massa é pesada ela não cresce absurdamente, então dá para encher um pouco mais da metade. Depois é só colocar em formas de cupcake ou de empadinha (as que eu uso). Leve para assar em fogo médio (200º) por aproximadamente 10 minutos (fique observando, pois seu forno pode ser diferente do meu).

A nossa cobertura foi feita de brigadeiro, aquele normal feito de uma lata de leite condensado, duas colheres de chocolate em pó e uma colher grande de manteiga. Leve tudo ao micro-ondas e tire de um em um minuto até dar ponto. Ou então faça na boa e velha panela!

Coisa mais fofa desse mundo, não? Lindos e deliciosos! Bolo de cenoura com brigadeiro não tem erro. Não tem falta de graça nem de sabor. E você deve estar super curioso na decoração, né? Imaginei!

Primeiro vou contar como fiz para confeitar com brigadeiro. É tão simples, tão prático e tão clean que nem eu acreditei! Simplesmente deixei o brigadeiro esfriar e fiz três bolinhas, uma maior que a outra, e por fim achatei e empilhei sobre o bolinho. Ficou com esse aspecto de super confeitado, coisa profissa… hahaha

E esse wrap delicado e mais fofo do mundo? Descobri por acaso e não pude deixar de compartilhar com vocês. Tem uma empresa que faz papelaria personalizada que disponibilizou um kit completo de páscoa para download. É tudo tão carinhoso e tão delicado que realmente é um presente! E não é só a roupinha de cupcake, tem tags (que vou usar em todas as minhas lembrancinhas), caixinha, topper… E prontinho para imprimir!

Se você também quiser fazer o download do seu kit basta acessar o face da 4Party.

Os bolinhos estão valendo como lembrancinha, né? Fora seus atributos decorativos. Chama a criançada e aproveita para curtir um tempo juntos na cozinha. É garantia de algumas risadas e quem sabe até algumas lições, como quantidade e frações por exemplo. Memórias de amor para sempre!

Faixa de renda retrô – passo a passo

Esse fim de semana foi o batizado da minha afilhada. Finalmente selamos perante Deus esse convite que tanto nos emocionou e continua emocionando. Ana Laura é o bebê mais doce que eu já conheci na vida, fora sua simpatia contagiante que derrete todas as pessoas que a rodeiam. Me sinto orgulhosa e feliz por ser sua madrinha!

A alguns meses atrás minha comadre me mandou uma inspiração de faixa para o batizado de Ana. Aquilo foi ficando guardado, na certeza da facilidade de fazer, até o último dia que antecedeu o evento. O que ela queria era uma faixa um pouco retrô, bem larga, quase um casquete para bebê. Feita com aquele tecido importado de flores. Coisa fina, delicada, diferente e simplesmente linda!

O problema é que quando fui comprar o tecido, simplesmente não encontrei. Não teve jeito. quase caí dura de susto. Mas sabe o que acontece quando a gente não encontra o que procura nessa vida?

a) senta e chora.

b) usa a criatividade para dar um jeito.

Sim caro leitor, o negócio foi dar um jeito! Até porque não poderia deixar a estrela do evento na mão. Não tem tecido bordado com flores? Então vamos criar umas florzinhas para bordar o tecido!

Comprei 20 cm de musseline, um pedaço de renda com elastano e mãos a massa. Já aviso de antemão, é super trabalhoso, vai com tempo, mas garanto que dá para inventar mil coisas a partir desse modelo.

Comece cortando tiras de 1 cm de largura por 15 de comprimento:

Para fazer a flor é só ir enrolando uma das pontas do tecido e delicadamente ir dando formato de flor, com um fio e agulha vá prendendo as voltas, para dar firmeza:

Depois de toda ela pronta aplique uma pérola no centro. Um detalhe de pura delicadeza!

E por último é só ir aplicando em um tecido. A distância e tamanho das flores você pode escolher. Eu quis que elas ficassem assim, um mimo!

A faixa de renda com elastano:

E a delicadeza da minha afilhada usando a faixa, coisa mais apaixonante dessa vida!

É simplesmente pouco bebê para tanta gente que ama e sente vontade de afofar muito!!! Sou realmente uma pessoa de muita sorte por viver tudo isso.

Festa de aniversário infantil no parquinho

Vim hoje mostrar para vocês a comemoração do primeiro ano de vida do meu bebê. Primeiro ano de vida que voou, primeiro ano de vida de muitos aprendizados e agradecimentos, primeiro ano de vida de muita saúde e amor, primeiro ano de vida de muitas alegrias! Um ano que só nos levou a comemorar e festejar com pessoas queridas que sempre estiveram ao nosso redor!

Eu não queria uma super produção, queria mesmo algo íntimo e pequeno, queria algo para rir com os amigos e receber abraços sinceros. Como não temos quintal em casa, resolvemos fazer uma festinha no parquinho. Sim, no meio do parquinho, o que também gerou economia, já que não precisamos nos preocupar com brinquedos para as crianças, elas ficaram mesmo se balançando, se pendurando, escorregando e claro, comendo areia.

A decoração toda DIY, preparada sobre a mesa do meu atelier, cheia de erros, tropeços e aprendizados e com carinho e amor em cada detalhe!

Happymboca family, cheia de histórias engraçadas e reais, cheia de tropeços e pulos, cheia de areia na sapatilha, cheia de orgulho e agradecimento.

A aniversariante e a roupa que eu escolhi. Um macaquinho para ela poder brincar o quanto quisesse, sem ficar com os movimentos presos, sem os adultos se preocuparem se vai sujar ou não. Com cara de bebê sapeca! e a flor da faixa gente, foi a mesma que usou em seu nascimento. Linda e delicada nos dias atuais, pois no dia do nascimento parecia um belo repolho em sua pequena cabecinha.

E por fim quero fazer um agradecimento especial a todas as pessoas que me ajudaram e vibraram junto com nossa família com essa celebração. Me esposo que carregou para onde eu desejei, todas as quinquilharias que vocês podem pensar, inclusive essa mesa que é super pesada, sem reclamar e cheio de disposição. Além de me surpreender e aceitar todas as minhas viagens na maionese. Minha mãe e irmãs por me ouvirem, acharem lindo o que eu faço e sempre estarem a disposição para o que eu peço. Minha amiga Tati por também me ouvir, achar lindo e estar a disposição. Minha cunhada Rose Francener, nossa super fotógrafa. A vocês meus leitores, por toda a paciência, por acompanharem a nossa história e demonstrar o quanto gostam também de meus filhos. E principalmente a minha comadre Dani, além de mãe da minha linda afilhada, esteve super presente, fez metade das comidinhas (as mais elogiadas), me ajudou a decorar, me encheu de ideias, esteve presente do início ao fim da festa, me deu suporte durante o grandioso evento, me faz rir sempre e é uma baita amiga!

Quem tem amor, amigos e criatividade tem o mundo nas mãos. E graças a Deus, isso não falta na minha vida!

Ideia para convite passo a passo

Estou aqui, em uma retrospectiva interna sem explicação. Natália está as portas de completar um ano de vida e eu simplesmente não consigo dar conta disso ainda. Ela cresceu tão rápido, esse ano voou de uma forma, que não consigo explicar direito. É uma mistura de sentimentos engraçados e desconexos.

A essa altura vocês já devem ter percebido o quanto posso ser uma pessoa bipolar em muitos sentidos. Mas no momento, a minha maior bipolaridade está em ver o quanto a menina ainda é pequena, e em como ela está grande! Por exemplo, quando ela deita em meu ombro, é tão pequenina e tem um encaixe tão perfeito, consigo segurá-la com um braço só e protegê-la do mundo, sinto que ela ainda é tão pequena… E logo em seguida, quando a coloco no berço e olho para ele tão cheio, penso em quanto ela está grande! E assim por diante. Tudo isso em menos de cinco minutos.

Mas enquanto vou tendo esses lapsos de sentimentos conflitantes sigo pensando na comemoração que faremos para festejar essa data tão querida. A primeira. Como já falei para vocês tudo será feito de forma muito íntima, apenas para um grupo de pessoas que realmente esteve presente em nossa vida nesse momento. Mas isso não quer dizer que a festinha não será cheia de detalhes delicados e lindos, feitos por mim, e preparados simplesmente para mostrar de forma carinhosa o quanto estou feliz por tudo que vivo com essa família.

Esses dias fotografei um dos convites que preparei, e hoje trago para vocês o passo a passo dessa ideia. Que possa servir de inspiração para vocês, e também de aperitivo para as delicadezas que estão sendo preparadas por aqui.

O cabelo eu mal penteio, mas os recortes de papel vão de vento em popa!

Os dados da festa como hora e local foram feitos e colados atrás do pequeno tag azul. Não ficou a coisa mais delicada dessa vida? Natália entrega para as pessoas toda cheia de amor. Derrete todo mundo!

Se você gostou da ideia e se quiser brincar de convitinho também, é só salvar e imprimir a imagem que fiz!

E siga acompanhando os posts dessa semana. Ainda vai rolar muito choro de emoção, risos de amor, histórias engraçadas e ideias lindas para encher nossos corações de inspiração!

 

Presente especial para páscoa

Para mim o presente ideal para oferecer para alguém tem que ser de altíssimo valor, e assim também será nessa páscoa. Esse ano estou preparando com Bernardo e Natália lindas cenouras que servirão de cestinha para entregar para pessoas muito queridas, com casquinhas de ovos pintadas e enchidas por nós mesmos. Um presente cheio de carinho, tempo e amor. Um presente que ecoa risadas da infância. Um presente simples e delicado. Quer algo mais valioso do que tudo isso junto?

Essas atividades sempre são uma forma bem interessante de estar junto com as crianças, além de dispor um tempo único de convivência e diversão sempre podem ser uma ótima alternativa de falar sobre o real valor das coisas, e o melhor, de forma prática.

Faz dias que estamos guardando casquinha de ovos por aqui. Muitas já sofreram baixa, pois Natália achou a maior graça do mundo esmagar essas casquinhas.

Que tal aproveitar essa ideia e garantir uma páscoa mais sustentável? Separa um papel laranja (procura a imagem na internet como papel laranja com bolinhas e imprime em casa mesmo), palha para o ninho, tesoura, tinta, fita crepe, fitas verdes e casquinhas e prepara a criançada!

As pinturas das casquinhas ficam a cargo das crianças (Natália também ajudou!), se prepara para a bagunça e se surpreenda com o resultado das pinturas. E a parte que coube a mim foi a preparação do pequeno cone-cenoura, e isso é muito simples, basta recortar um triângulo na folha colorida e colar com a fita crepe. Se tiver sobras de papel é só ajustar com a tesoura. Depois fiz dois furos e amarrei uma fita verde, assim a gente tem uma alça que também representará a folha.

Por fim preenchemos a cenoura com palha, formando um pequeno ninho. E depositamos uma casquinha de ovo recheada com amendoim confeitado mesmo. Ano passado nos aventuramos e enchemos as casquinhas com chocolate derretido, para ver como foi clique nesse link.

Essa é uma forma original de reinventar nossa tradição. Com um pouco de criatividade e disposição a gente pode presentear pessoas queridas e agradar as crianças. Tudo isso gastando um valor justo!

Este post foi publicado em primeira mão na edição de março da Revista Educar!

Resultado do concurso e a caixa personalizada

É com grande prazer e orgulho que venho anunciar a grande vencedora de nosso concurso cultural. Julgar sempre é uma coisa delicada, as respostas foram muito originais, criativas e até engraçadas, mas depois de muito avaliar e contar com o apoio operacional do maridón, venho anunciar enfim a frase que levará esse prêmio:

Eu mereço um incentivo para me cuidar, porque sou mãe, mas também sou mulher. Porque brinco na terra com meu filho, mas também hidrato minha pele. Porque quando chego do trabalho, meu filho está me esperando… mas meu marido também! É um presente que vale para nós três! *-*

Parabéns Kênia Figueiredo!

**********

E se você é assim como eu e consegue enxergar um grande potencial decorativo personalizável em todo e qualquer material que estiver dando sopa por aí, venha ver o que fiz com a caixinha que veio junto com os produtos:

Antes:

Depois:

Um pedaço de tecido que estava guardadinho, um pouco de cola branca, uns detalhes para fazer o acabamento e uma caixa novinha em folha! Sem propagandas e a minha cara, essa caixinha com certeza irá figurar o meu atêlier. Imagina tendo uma de cada cor em cada mês, todas do mesmo tamanho e qualidade, iria ficar um luxo para a organização de minhas coisinhas!

E a minha caixinha está sendo usada no momento para guardar pequenos tesouros que estou fazendo para o aniversário de um ano da Natália. Carrego para lá e para cá a matéria prima que estou precisando, hoje mesmo o que tem dentro dela são esses pequenos copinhos para brigadeiro de colher:

Obrigada gente, por todas as participações, por todo o carinho e por toda paciência. Fico muito feliz quando posso dividir (nem que seja apenas com uma pessoa por vez) as experiências que vivo por aqui!

Beijos no coração.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...