O mundo dá voltas!

Há algumas semanas fizemos aqui no blog um sorteio de camisetas. A Gisele do Kids Indoors foi uma das sorteadas e ofereceu em contrapartida um presente para o Bernardo e a Natália, um livro que ela ilustrou.

Faz tempo que eu queria falar sobre gentilezas e uma forma de melhorar os relacionamentos humanos com carinho e atenção, e quando o livro chegou aqui em casa percebi que o momento perfeito tinha chegado.

Bernardo amou o livro de uma forma que parecia que nunca ganhou livro nenhum. E eu fiquei comovida com esse gesto, pois minha relação com Gisele é totalmente virtual baseada na troca de alguns e-mails, e mesmo assim ela não exitou fazer esse agrado para meu filho.

O livro é lindo, a história é além de tudo educativa, já estamos ensaiando umas palavras em libras, e a ilustração arrasa! Muito obrigada Gisele!

Acredito sinceramente que o mundo dá voltas, e que você mesmo se banhará nas ondas que produziu. Assistam esse vídeo lindo que ilustra na prática que o que vai, volta rapidinho!

Fique por dentro de todas as novidades da Inventare, curta nossa página no facebook!

10 coisas que aprendi com meus filhos

Porque tem coisas que não se aprende em livros!

Não só acreditar, mas rezar todas as noites para que ele coloque a mão no chão antes da cabeça bater, para que ele tampe a entrada da tomada quando a teimosia aparecer, para que ele segure na mãozinha quando der vontade de correr para a rua e para que ele me chame quando um perigo maior estiver prestes a acontecer!

É gratificante deixar de olhar o mundo de um metro e tanto de altura e passar a ver as delícias e encantos que acontecem no ângulo de 80 cm!

Quando a gente percebe que o filho é um reflexo claro de nossas ações, palavras e costumes, finalmente entendemos a importância da boa alimentação, respeito ao próximo e outros tantos exemplos práticos e teóricos que nos fazem ser uma pessoa melhor!

Colo não estraga ninguém. Qual é o problema em dar atenção e contato físico para uma pessoa que só quer ouvir os batimentos do seu coração, o som da sua voz e o afago da sua mão? Mas o principal motivo sabe qual é?

E não querem mais saber de colo! E a saudade que dá não tem como ser explicada.

E fica grudado no pé! Você vai ao banheiro e alguém vai ficar batendo na porta, você vai tomar banho e alguém vai ficar te chamando, você vai lavar louça e vai ter que sair correndo para ver onde foi o estrago, você vai estar no trabalho e vai pensar se eles ficaram bem, você vai estar em uma noite super romântica de namoro com seu esposo e na sua cabeça só toca uma música “o que que tem na sopa do neném?” …enfim…

Cuspiu para cima amiga? Não tem guarda chuva que te proteja! Pensa em uma testa alvejada de cuspe! Prazer, essa coroa sou eu.

E ainda olhar teatralmente para os dois lados da rua. Finalmente colocar em prática o que minha mãe tentou me ensinar!

Tem centenas de motivos que são ruins, difíceis e dão vontade de chorar. Mas ficam no chão perto de pequenos momentos tão perfeitos e mágicos que fazem a maternidade valer a pena. São esses momentos tão gostosos que fazem a gente desejar um repeteco.

E um dia você descobre na prática que essa máxima é uma das maiores verdades da vida. E lembra de todas as coisas ruins que como mágica a teoria de reprodução da espécie fez você esquecer. Mas também lembra de cada detalhe inexplicável e emocionante que fazem você morrer de orgulho simplesmente por existirem!

Quer ficar por dentro de todas as Ideias da Inventare? Curta nossa página no facebook

“Magia de ser mãe”

“Estou participando da Promoção “Magia de Ser Mãe” do Cupons Mágicos e Dafiti. Saiba mais na fan page do Cupons Mágicos para ganhar R$ 600 reais em compras!”.

A vida é um grande palco e o destino se encarrega da maioria dos truques que ali serão exibidos, mas sem dúvida o maior de todos é o dia em que a mulher tira das mangas 50 cm de gente que mudarão o rumo do show!

Nesse dia, instintivamente, descobri que um beijo tem o poder de uma varinha de condão. Descobri que aquela música cantarolada é mais valiosa que um baralho mágico. E entendi que ilusionismo é transformar brócolis em ursinho.

Nesse dia enfim me dei conta que a magia está no coração e que para continuar com a minha turnê eu nunca mais poderia deixar de acreditar nisso. Também me dei conta que por muitos anos serei a responsável pelos números, mas não pelas transformações fantásticas que acontecerão diante de meus olhos deslumbrados.

Então percebi que a minha fascinação perante essa magia se estendia ao público, porque por mais que da minha cartola saia carinho, paciência, soluções, curas, ideias, e muito mais, são os meus dois ajudantes de palco que levam a platéia a loucura!

10 coisas que eu gostaria que meus filhos aprendessem

Disponibilizem seus ombros. Muitas vezes a vida nos faz chorar, mas saber que temos com quem contar faz todo o processo ser infinitamente mais fácil. Além de que poder consolar quem a gente ama é algo maravilhoso!

Não tenham vergonha de demonstrar o carinho um pelo outro. Com o passar dos anos ele não será mais em forma de beijinhos, mas nem por isso será menos importante. Deixem um pedaço daquele bolo preferido, façam uma ligação para oferecer a mão, chamem para um café… Procurem formas de sempre mostrar o que sentem e abram os braços para reconhecer o carinho que recebem.

Não façam da competição uma forma de se relacionar. Cada um tem seu espaço no mundo, e principalmente no mundo do amor familiar. Nunca se comparem, quem se compara ou sente-se inferior ou pensa que é melhor que o outro, e isso não é saudável para um relacionamento.

Os irmãos são um dos nossos primeiros professores. Nos ensinam a dividir e a lutar pelo que queremos. Nos ensinam traquinagens e como lidar com os pais. Nos ensinam a defender os interesses e a guardar segredos. Sejam humildes e sempre estejam com o coração aberto para aprender um com o outro.

Uma das piadas mais bem humoradas do mundo chama-se irmão. Vocês vão rir muito juntos, vão rir dos outros, mas principalmente vão rir um do outro. Façam isso com respeito e façam disso algo positivo em seu relacionamento.

Cada um de vocês terá seu momento de protagonista. Um dia de febre, uma apresentação na escolinha, a formatura, o casamento. Estejam sempre presente! Pois mesmo que desfocado lá no fundo da foto, lá no fundo do salão ou lá no fundo da platéia, sempre terá uma palavra, uma lembrança ou uma música que fará sua presença valer a pena!

Muitas das experiências que vocês terão na vida nós pais nunca ficaremos sabendo, mas vocês ficarão. Sejam cúmplices, sejam unidos e sempre, sempre cuidem um do outro!

“Amar é admirar com o coração. Admirar é amar com o cérebro.” (Theophile Gautier)

Guardem com carinho as memórias de infância. Elas tem o poder de nos transportar para bons sentimentos em segundos, mesmo estando do outro lado do mundo. Essas lembranças estarão repleta de histórias que vocês dividirão, e essas mesmas lembranças sempre serão o vínculo que vocês terão com suas raízes. Nem mesmo o alzheimer fará vocês esquecê-las, pois essas memórias não são armazenadas no cérebro, são armazenadas no coração!

E por fim meus filhos, saibam que a família é nosso porto seguro. Não somos o tempo todo sorrisos. Mas aqui vocês sempre encontrarão cumplicidade e apoio. Temos a nossa história própria, que sempre fará parte da forma que vocês verão o mundo. Temos os nossos valores, que sempre guiarão as suas decisões. E sinceramente espero que por muito tempo estejamos por aqui, para que vocês possam navegar o mundo inteiro, mas sempre tenham onde atracar com segurança!

Fique por dentro de todas as ideias da Inventare, curta nossa fanpage aqui!

Um menino frustrado e um bebê que não sabia soltar pum!

Pensa em uma palavra mágica. Uma palavra que seca lágrimas de tristeza e dor e transforma em riso verdadeiro. Que transforma riso verdadeiro em gargalhadas espontâneas. Que tem o poder de curar um dodói sem beijinho de mamãe. Que tem o poder de fazer um filme ficar engraçadíssimo. Que deixa o dia azul, as manhãs claras e o copo meio cheio!

Essa palavra é PEIDO (e todos os seus adjacentes, barulhos, cheiros e texturas).

Até ser mãe de um menino, que acha meleca a coisa mais linda do mundo, pum o barulho mais engraçado da vida e arroto um dom perfeito que o diferencia dos outros mortais, eu nunca tinha percebido o quanto a irreverência e atitude de um personagem qualquer, correspondem proporcionalmente ao quanto ele é porco e sem educação.

Mas como uma mãe, mulher e membro oficial das pessoas que não conseguem descobrir taaanta graça assim em porquices, eu sempre ensinei para meu filho bons modos na frente das visitas. Mostrando que para tudo tem hora e lugar adequado. Ele sempre assimilou bem.

Então nasceu Natália. Um bebê que tem dificuldade de soltar pum. E isso minhas caras colegas mães, pode causar noites insones e berros inconsoláveis. Por esse motivo, sempre que a menina solta um pum sonoro, longo e de preferência que encha a fralda de muito coco, Papai e Mamães festejam! Batem palmas para o bebê, dão risada, ficam genuinamente muito felizes, fazem comentários construtivos e de grande estímulo! Isso sem contar os esforços para um arroto bem solto! (Quem nunca?)

Então o que o menino entendeu? Que soltar pum, em qualquer lugar, com qualquer pessoa, e sob a pressão de qualquer comida ingerida, passou a ser uma coisa bonita, legal e que agrada os pais! Porque né, se a irmã pode…

Só que com ele a reação não era de aplausos e beijos de parabéns. Pois ninguém se priva de sono precioso se o menino não fizer isso em público. Ele é repreendido.

Mas fica com aquela cara de “meus pais amam mais a minha irmã”, que corta o coração enlouquecido de hormônios (ou falta de) de uma mãe com horas de sono atrasado, poucos braços, celulite grau 16 e memória lesada.

Experiências de mãe de dois!

Uma história que não deve ser apagada!

O post de hoje venho escrever cheia de orgulho do maridão. Em 2010 ele começou a fazer pesquisas para escrever um livro. Se animou e desanimou várias vezes durante o processo. Escreveu horas e horas infinitas em suas páginas virtuais. Fez dezenas de reuniões e entrevistas para chegar a história fiel. Buscou em atas, fotografias e memórias quase apagadas pelo tempo o material necessário para compor sua trama.

E essa semana enfim a primeira edição do livro chegou em nossa casa. É pra não morrer de orgulho?

E para falar do livro, vou primeiro contar uma história. Eu fui Bombeira durante 8 anos. Virei incontáveis madrugadas fazendo atendimento pré hospitalar e apagando incêndios, e nas hora vagas jogando canastra. Tenho algumas história bem tristes desse tempo, mas tenho muito mais histórias que me fazem rir quando estamos em grupo.

Eu e o Paulo nos conhecemos na corporação, ficamos amigos, conversamos durante horas sentados em ambulâncias a espera de ocorrência, descobrimos várias coisas em comum, passamos a conversar fora dos plantões também, nos apaixonamos, casamos com direito a ir para a recepção da festa em um caminhão com sirene ligada, tivemos o Bernardo e dividimos a paixão desse trabalho por exatamente oito anos.

Depois disso, cada um por seus motivos particulares (eu simplesmente por começar a sentir medo de me arriscar entre algumas ocorrências mais violentas, enquanto meu bebê dormia tranquilo em casa) em 2011 nós deixamos juntos de ser bombeiros.

E foi por essa paixão ao trabalho que o Paulo teve a ideia de pesquisar e escrever esse livro que resgata a história dos Bombeiros Voluntários em Jaraguá do Sul, a partir do dia da fundação, enriquecido com detalhes de memórias de pessoas que participaram ativamente desde o início e que deixam o livro gostoso e interessante de ser lido. Essa história faz parte do crescimento e desenvolvimento da nossa cidade. Tenho certeza que algum dia, mais para frente, Bernardo e Natália sentirão ao ler esse livro o mesmo orgulho que eu estou sentindo hoje!

Ser mãe de dois!

Sabe, o sentimento que a gente tem por um filho é uma coisa tão inexplicável, por tantos motivos e de tantas formas diferentes, que um dia quando eu pensei seriamente em engravidar pela segunda vez me questionei se algum dia pudesse sentir por outra pessoa o que eu sentia pelo Bernardo. Eu não tinha dúvidas que amaria um novo bebê, mas o Bernardo sempre ocupou tanto espaço em meu coração, meus pensamentos, preocupações, sonhos, planos, que sinceramente parecia que não haveria lugar para mais alguém. Fora o fato que parecia que colocar mais alguém era como se de alguma forma estivesse tirando o que já era do Bernardo por direito adquirido!

Então chegou Natália. E naturalmente ela foi incluída em minhas orações. Naturalmente ela foi incluída em meu planos, preocupações, sonhos e pensamentos. Mas não pense que por um minuto sequer Bernardo perdeu algum centímetro de tudo isso, pois Natália trouxe junto com ela a seu próprio lugar na barra da saia.

E agora ver os dois juntos, e sentir que a ligação entre eles foi algo tão natural e gostoso, faz eu não conseguir me lembrar direito o que me fez algum dia questionar o poder do vínculo de amor!

Estamos fora da casinha!

Enquanto não atualizo decentemente o blog, não por falta de ideias, nem de fotos, nem de fofurices, e nem de desafios. Deixo para vocês dois textos publicados fora da nossa casinha!

Escrito as vésperas do parto esse texto inédito fala sobre as revelações que os hormônios causam em uma cabeça que já é bagunçada por natureza, e como arrebatam uma grávida louca no meio de um shopping lotado:

Os hormônios e seus insights iluminadores

E também baseado na mera observação da vida real, um texto falando sobre exercício e vida saudável que finalmente fará você mudar de vida na próxima segunda feira, certeza!

Dicas de exercício e emagrecimento

E no mais estamos ótimos!

E a gravidez subiu no telhado!

38 semanas minha gente. Quando eu abrir os olhos novamente, estarei com meu bebê no colo. Ao mesmo tempo sei que vai dar tempo de um vidro jogado na natureza entrar em estado natural de decomposição e nada desse bebê nascer…

Como estou na segunda gestação, já tenho segurança o suficiente para dizer o quanto estou cansada dessa situação. O quanto a gravidez já deu pra bola e o quanto eu não vejo a hora de passar por tudo isso. Mas novamente vem aquele sentimento contraditório, diretamente do fundo emocional das grávidas loucas, me fazendo sentir uma pontada de tristeza por saber que possivelmente é a última vez que passarei por tudo isso.

Estão me achando contraditória? Vocês não viram nada. Para mim, contradição é a palavra que rege a maternidade.

Quando penso que o fim da gravidez está próximo e meus pés voltarão a ser dignos, que poderei parar de clamar a Nossa Senhora das Grávidas de Verão para eles não explodirem, sinto um alívio enorme tomando conta de todo meu cansaço. Mas aí, lembro também que o fim da gravidez está próximo e nunca mais sentirei dois pezinhos dentro da minha barriga formando calombos esquisitos em uma das sensações mais deliciosas de se sentir na vida, e sinto muito por estar tão perto de tudo isso acabar.

Não consigo andar direito, pois sinto pressão nas partes baixas. Não consigo ler um texto em voz alta, pois falta ar para terminar as frases. Não consigo pegar meu óculos de sol no porta luvas do carro, pois não alcanço. Não consigo parar de rir de piadas idiotas, pois fiquei meio boba. Não consigo calçar meus sapatos. Não consigo conversar com as pessoas com discernimento e coerência. Não consigo conferir se a depilação está em dia.

Sinceramente não me acho linda, nem esplendorosa e muito menos atraente. Quando olho no espelho não me reconheço. Para vocês terem uma ideia da situação, esses dias meu filho de 5 anos perguntou:

- Mãe, o que é isso no seu sovaco axila?

-Onde? O quê? Tira, tira, tiraaaa (achando que era sei lá, uma aranha/barata/morcego)

- Ãhn, não era nada…

Então baixei o braço novamente e descobri o que era. Era uma pelanca horrorosa que se alojou entre meu peito e minha axila. Coisa linda de se ver!

Mas saindo dali, fui recolher as roupinhas do varal. E sentir aquele cheirinho, ver aquelas pecinhas tão graciosas e fofinhas, me trouxe um sentimento tão maternal e intenso, que pensei: O que é uma pelanquinha a mais ou a menos para quem já esta ferrada mesmo.

Eu amo estar grávida!

Acham que os hormônios me enlouqueceram? Novamente digo, vocês não viram nada! Vão conversar com meu esposo.

Pelo menos nesses últimos dias, para já ir acostumando com a rotina, estou dormindo como um bebê – durante a noite faço xixi no pijama e tenho fome de duas em duas horas!

TAG – Curiosidades Sanadas

Já tinha visto essas brincadeiras em diversos blogs por aí, mas essa vez foi a primeira que fui lembrada e convidada a participar. A querida Genis Borges do blog Reciclando com a mamãe, como sempre muito carinhosa, foi quem me tagueou para participar da brincadeira.

As regrinhas da brincadeira são as seguintes:
- Os blogs tagueados devem responder 10 perguntas.
- Indicar 10 blogs para serem tagueados também.

Respondendo as perguntas:

1- Como escolheu o nome do blog?

Muito antes de pensar em escrever sobre a maternidade, pensava em escrever sobre coisas que eu criava ou gostaria de criar. Então esse nome surgiu na minha cabeça, assim, como quem não quer nada, e depois de verificar se já existia outro igual e percebendo que não, estava escolhido! Hoje combina também com o foco que o blog tomou, com o diferencial de pequenas mãos fofas me ajudando a inventar!

2- Quanto tempo se dedica ao blog?

Me proponho a diariamente trabalhar um pouco aqui, mas tem dias (já chegou a passar de semana) que simplesmente não dá. #hormôniosdagravidez

3- Já teve algum problema com comentários de anônimos no blog? O que?

Até hoje não. Sei que o crescimento do blog pode trazer problemas como esse, mas felizmente até agora o blog só trouxe gente com nome e sobrenome  para o meu convívio.

4- Você se inspira em outro blog? Qual?

Não exatamente em um blog especifico, mas me inspiro muito na rede social Pinterest. E de lá acabo partindo para uma infinidade de blogs legais!

5- Quanto tempo está na blogsfera?

Exatamente 1 ano!

6- Qual blog visita todos os dias?

Como já disse, o meu ponto de partida diário é o Pinterest.

7- Quantos blogs visita por dia?

Uma variedade. Alguns conhecidos, outros novos. Não tenho um número fixo.

8- Quantos livros lê por mês?

Dezenas! De insetos, de planetas, de animais, de super heróis… Depende do interesse atual do Bernardo! hehe

9- Já ficou sem inspiração para postar? Como superou isso?

Não digo sem inspiração, mas já fiquei sem disposição. Principalmente no início da gravidez. Simplesmente não rolava sentar aqui e escrever uma linha que fosse! Superei naturalmente, com o passar das semanas. Vamos ver como será com um bebê RN em casa.

10- Pretende mudar algo no blog em 2013?

Pretendo mudar o layout, estou estudando isso no momento.

 

E a segunda regra José? Já sei! Vou atualizar essa parte depois. Pode?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...