Ana Laura, um bebê que também é meu!

Esse fim de semana recebi um convite tão esperado e tão inesperado que mesmo passando várias horas ainda enche meus pensamentos de entusiasmo e minha barriga de frio.

Um casal de amigos chegou aqui em casa e nos presentou com um pedaço do maior presente de Deus que já receberam, nos presenteou com um pedaço do maior amor que já conheceram, nos presenteou com um laço de carinho, amor e cuidados com a pessoa mais importante de suas vidas.

Com todo o carinho e bom gosto do mundo eles nos convidaram como padrinhos de sua pequena Ana Laura.

Cada pequeno detalhe foi pensado e executado com todo cuidado por minha comadre querida. Na hora nem tive capacidade de perceber todo o amor depositado em cada pequeno bombom embrulhado, mas depois fiquei ainda mais emocionada.

Dani e Gelson, muito obrigada por nos escolherem para formar esse vínculo tão especial com vocês. Sabemos da responsabilidade que acompanha tamanho convite, mas o privilégio de levar esse título é de longe muito mais emocionante do que eu imaginava!

Eu já tinha intenção total de acompanhar o crescimento desse bebê, porque os admiro e estimo muito, mas agora meus queridos compadres, o sentimento tomou uma proporção muito maior, pois essa menina também é minha! Minha afilhada.

Acompanhamento semanal da gestação em fotos

Hormônios definitivamente não são meu ponto forte! Quem conviveu comigo durante essa gestação sabe que me tornei um fio elétrico desencapado, mas não um qualquer, um fio elétrico em formato de cobra que estava sempre pronto para dar um bote mortal em quem atravessasse meu caminho.

Fora esse fato peculiar que tomou minha personalidade normal, a gestação como posso falar, não é assim um total mar de rosas do ponto de vista fisiológico. Meus pés cresceram um 5 números no geral. Minha canela também. Meu quadril cresceu uns 20. Me tornei uma ursa, fofa, tentando hibernar minuto após minuto, mas impedida pelo trabalho, família, fome e vontade de fazer xixi.

Mas a natureza sábia que só ela, inexplicável e indecifrável deixa eu acrescentar, me surpreende a cada dia de minha vida. Faz dois meses que eu pari. D.O.I.S M.E.S.E.S. As cólicas do meu bebê ainda não terminaram. O meu peito ainda está sensível. Ainda não recuperei a forma (de acordo com a mãe da minha amiga Tati, nem devo esperar muito por isso…) e ao passar por uma grávida no estágio finalíssimo, com certeza caminhando em direção ao hospital, com aquela cara peculiar de que está prestes a dar uma facada em alguém, em um sol de rachar o umbigo saltado, bufando e suspirando, parada no sinaleiro entre o riso e a dor, eu me pego pronunciando: _Aiiii que saudade! O.o

O Paulo começou a rir, eu quase comecei a chorar! Me interna!

Mas voltando a minha gestação, fiz um acompanhamento fotográfico quase que semanal. Sei que a menina já está quase se formando, mas mesmo assim trouxe para vocês verem como ficou o resultado. Uma recordação muito legal da gravidez.

Todos os créditos para Rose Francener, conheçam seu trabalho aqui:

Quer ficar poder dentro de todas as ideias da Inventare? Curta nosso facebook aqui!

10 ideias originais para anunciar a gravidez

Nos dias atuais os cuidados com a personalização e originalidade da gravidez começam no dia do anúncio. Seja para o marido, para os familiares, ou para todos os amigos, de sessão de fotos especiais a ideias criativas, toda gestante sonha com um momento todo especial e cheio de carinho.

Hoje eu trouxe 10 ideias para inspiração para as atuais, ou futuras, gestantes. Sem dúvida um pouco de cuidado a mais nesse momento tão importante só gerarão frutos positivos e memórias lindas para o futuro membro da família!

Quer ficar por dentro de todas as ideias da Inventare? Curta nosso Facebook aqui!

Fonte Pinterest

Preparando o ninho!

Agora sim posso dizer convicta que é só a menina nascer. Definitivamente arrumei as malas, terminei de lavar tudo que precisava, recebi tudo que grandes amigas me emprestaram, coloquei nas paredes os pássaros de feltro, enfim… Deixei o ninho em perfeito estado para receber o bebê na próxima semana.

E então fotografei os detalhes para trazer para vocês. Admito que estou muito orgulhosa. Já falei antes e repito, estava em busca de uma decoração minimalista, imaginada e confeccionada por mim, e principalmente delicada.

Essas são as lembrancinhas. São pacotinhos recheados com balas de coco.

O enfeite da porta da maternidade foi feito de MDF e feltro. Acho lindas essas peças com a letra inicial do nome. No principio eu ia encapar de tecido ou papel de scrapbook, mas quando pensei nas flores de feltro achei que o resultado seria muito mais original!

Os saquinhos para as primeiras roupas na maternidade. Fiz de organza e decorei com pássaros, combinando com outros detalhes. Ao invés de colocar os números para identificar os dias, eu coloquei o números de pássaros correspondentes.

Fiz uma latinha com boas vindas para o bebê, e no lado que está vazio vou preencher de bombons para receber as visitas. Queria dar um toque feminino e aconchegante para o ambiente hospitalar, e a latinha ficou uma graça!

No berço eu não queria protetor, além de deixar a decoração mais leve, eu senti que foi desnecessário com o Bernardo. Então somente para dar uma cor ao todo tão branco, costurei esse passarinho. Mas agora olhando acho que vou costurar mais alguns.

E essa é a parede de pássaros de feltro (Veja aqui o passo a passo). Deu um toque muito especial ao ambiente. Adoro papel de parede, adoro adesivos de parede, mas queria algo diferente, algo único, e não me importava que ficasse mais carregado já que o berço ficou bem limpo.

E por fim o berço escolhido.

Esse berço tem uma história. No início do ano a Cia do Móvel lançou em sua fanpage um concurso cultural para gestantes. Bastava enviar uma foto criativa da barriga e a vencedora poderia escolher entre toda a coleção um berço para seu bebê.

Nem barriga eu tinha ainda, mas fomos eu e Bernardo caprichar em uma produção para concorrer ao prêmio. E deu certo! Fomos os vencedores.

Então escolhi o Berço Evolution, que assim que houver necessidade se transformará em um jogo de quarto de solteiro. Além de ser uma solução bonita e prática para quem mora em apartamento, já que a cômoda e a cama auxiliar ocupam o mesmo espaço do berço.

Sem dúvida aprovamos a qualidade, design e funcionalidade do móvel! Obrigada!

E por aqui continuamos na espera. Hoje estou pensando em programar uma caminhada caprichada para talvez engrenar um parto no fim de semana!

Bjs

E a gravidez subiu no telhado!

38 semanas minha gente. Quando eu abrir os olhos novamente, estarei com meu bebê no colo. Ao mesmo tempo sei que vai dar tempo de um vidro jogado na natureza entrar em estado natural de decomposição e nada desse bebê nascer…

Como estou na segunda gestação, já tenho segurança o suficiente para dizer o quanto estou cansada dessa situação. O quanto a gravidez já deu pra bola e o quanto eu não vejo a hora de passar por tudo isso. Mas novamente vem aquele sentimento contraditório, diretamente do fundo emocional das grávidas loucas, me fazendo sentir uma pontada de tristeza por saber que possivelmente é a última vez que passarei por tudo isso.

Estão me achando contraditória? Vocês não viram nada. Para mim, contradição é a palavra que rege a maternidade.

Quando penso que o fim da gravidez está próximo e meus pés voltarão a ser dignos, que poderei parar de clamar a Nossa Senhora das Grávidas de Verão para eles não explodirem, sinto um alívio enorme tomando conta de todo meu cansaço. Mas aí, lembro também que o fim da gravidez está próximo e nunca mais sentirei dois pezinhos dentro da minha barriga formando calombos esquisitos em uma das sensações mais deliciosas de se sentir na vida, e sinto muito por estar tão perto de tudo isso acabar.

Não consigo andar direito, pois sinto pressão nas partes baixas. Não consigo ler um texto em voz alta, pois falta ar para terminar as frases. Não consigo pegar meu óculos de sol no porta luvas do carro, pois não alcanço. Não consigo parar de rir de piadas idiotas, pois fiquei meio boba. Não consigo calçar meus sapatos. Não consigo conversar com as pessoas com discernimento e coerência. Não consigo conferir se a depilação está em dia.

Sinceramente não me acho linda, nem esplendorosa e muito menos atraente. Quando olho no espelho não me reconheço. Para vocês terem uma ideia da situação, esses dias meu filho de 5 anos perguntou:

- Mãe, o que é isso no seu sovaco axila?

-Onde? O quê? Tira, tira, tiraaaa (achando que era sei lá, uma aranha/barata/morcego)

- Ãhn, não era nada…

Então baixei o braço novamente e descobri o que era. Era uma pelanca horrorosa que se alojou entre meu peito e minha axila. Coisa linda de se ver!

Mas saindo dali, fui recolher as roupinhas do varal. E sentir aquele cheirinho, ver aquelas pecinhas tão graciosas e fofinhas, me trouxe um sentimento tão maternal e intenso, que pensei: O que é uma pelanquinha a mais ou a menos para quem já esta ferrada mesmo.

Eu amo estar grávida!

Acham que os hormônios me enlouqueceram? Novamente digo, vocês não viram nada! Vão conversar com meu esposo.

Pelo menos nesses últimos dias, para já ir acostumando com a rotina, estou dormindo como um bebê – durante a noite faço xixi no pijama e tenho fome de duas em duas horas!

35 semanas – estou lavando as roupinhas.

É assim, do dia para a noite as coisas se tornam mais reais, mais palpáveis. Tenho quase tudo que precisarei para o nascimento da Natália. Mas estava em sacolas, nas caixinhas, no tempo futuro… Hoje enfim tirei as roupas dos pacotes, as etiquetas, as coisinhas das caixinhas e comecei a organizar, para esperar de verdade a chegada da menina.

35 semanas. E uma casa com cheiro de bebê. Uma inundação de mantas rosas, roupas rosas e fraldas no varal. É estranho isso, pois sabemos que em breve mais uma pessoa irá morar na nossa casa, mas ver as coisas dessa pessoa tomando conta do espaço comum é muito diferente.

Fico de cara como o tempo passa rápido. Foi esses dias que eu estava lavando as roupas do Bernardo. Foi esses dias que eu peguei ele no colo pela primeira vez. Foi ontem que eu preparei a mala para ir ao hospital ganhar meu bebê.

Lembro de como foi emocionante o dia que cheguei do hospital com o Bernardo e coloquei ele no berço. Eu tinha feito tudo com tanto carinho, tanto capricho, tanto cuidado e passava longos minutos olhando para as coisinhas, só imaginando o dia em que o bebê ocuparia o seu lugar. Quando deitei ele no berço foi como se tudo finalmente fosse real. Não conseguia sair de perto, de olhar, de sentir medo, de sentir coragem, de sentir vontade de chorar, e de ficar com um sorrisinho no rosto como se algo muito mágico tivesse acontecido na nossa casa, na nossa vida…

Hoje me dei conta que falta pouco tempo para tudo acontecer novamente. Em poucos dias alguém deitará no berço que estou preparando. Alguém usará as roupinhas que estou lavando. Alguém vai me fazer sentir medo, coragem, vontade de chorar e de rir…

O berço está pronto, as roupas estão lavadas, as gavetas organizadas, o tempo chegando, as pessoas falando, a barriga estourando, o mundo girando, o Bernardo chamando, enfim, praticamente tudo preparado. Tudo que se possa preparar.

Pois a roupa roupa a gente lava, passa, engoma, esteriliza. Mas a gente mesma… Não tem o que prepare uma mãe para o nascimento de um bebê. Essa semana farei as malas. (Frio na barriga!)

28 semanas de Natália!

Quando engravidei da Natália, mesmo ela sendo muito desejada pelo Bernardo, todos nós nos cercamos de cuidados para minimizar os efeitos do ciúme que nosso filho pudesse sentir.

Isso, somado ao fato de que com um filho mais velho o tempo dispensado para a gravidez (para o banho, para o sono, para a leitura, para o exercício, para a alimentação, para a internet…) diminui, fez que alguns pequenos detalhes e registros se perdessem, e também que a gravidez passasse num passe de mágica.

Por isso hoje resolvi registrar em imagens e palavras alguns pequenos detalhes da sua espera.

A barriga está grande e linda, típica de quem engordou uns quilinhos a mais, bem redonda e saliente, ninguém mais me olha com alguma dúvida.

A disposição vai diminuindo no ritmo que a temperatura vai subindo. Aqui vai um agradecimento especial a meu esposo muito compreensivo e a todos aparelhos de ar condicionado que eu encontro no caminho, em especial ao do meu quarto.

O medo de não ama-la tanto quanto amo o Bernardo diminui ao passo que ela toma seu espaço. A casa tem um leve cheirinho de bebê, por todo canto tem sinais de sua presença, as conversas são recheadas de planos, desejos e previsões a seu respeito. Se o amor vai ser igual ou diferente não consigo prever, mas não me sinto mais insegura com sua chegada.

Inevitavelmente agora ela vai tomar cada dia mais seu lugar, pois na porta do terceiro trimestre está na hora de deixar as coisas mais organizadas para sua chegada.

Bernardo e o nascimento de um irmão mais velho!

Professora do Bernardo veio falar com Paulo na semana passada. Perguntou se alguma em casa havia mudado, se tinha acontecido algo sério, pois ficou impressionada com uma reação do menino.

Bernardo sempre emprestou seus brinquedos, nunca bateu nem mordeu os amigos, é do tipo bonachão, que vai cumprimentado a galera pelas salas, conhecido pela maioria, tipo boa gente, sabe?

Aconteceu que minha mãe o presenteou com a Fazendinha Tirol completa, e quem tem filhos sabe que essa onda está no pico, e todos desejariam esse presente.

Só que ao invés do menino brincar com os colegas, ele pegou o pacote, foi para o cantinho da sala, e se alguém chegasse perto ele rosnava. Não tipo um cachorro bravo, tipo o Jake do avatar, com aquela rosnar que vem da garganta, defendendo seu território. hehe

Pensei em todas as coisas que pudessem estar acontecendo, será que estou brigando muito, ou brigando pouco? Será que estou dando muita atenção, ou dando pouco? Será que ele não consegue expressar seus sentimentos e no futuro vai ser aquele personagem louco e secundário dos filmes que surta e rosna e sai de cena? o.O

O fato é que vem acontecendo sim uma coisa, tem 500 gramas, 32 cm, e até nome. Cresce diariamente, recebe carinho e atenção, presentes de todas as pessoas que o Bernardo ama. Vai brincar com seus brinquedos, vai morar na sua casa e vai bagunçar a segurança no seu mundo.

Mas muito pior do que tudo isso junto, vai sair da barriga da sua mãe, vai mamar no peito da sua mãe, vai andar no colo da sua mãe e vai chamar sua mãe de MÃE!

O que me conforta é que sei que as vezes rosnar é necessário, e que essa é uma das primeiras coisas que Natália vai ensinar para Bernardo…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...